História

História

Logo ao início da existência do Conselho Político da ACP, em suas primeiras reuniões, mais precisamente na terceira reunião, realizada no dia 6 de outubro de 1994, o assunto relativo a mediação foi levantado. Sugeriu-se que a ACP fosse a pioneira na criação de um Instituto de Mediação no Paraná. Na oportunidade, acrescentou-se à sugestão a ideia de criação de uma Câmara de Arbitragem, determinando que matéria a respeito do assunto, já em poder da entidade, fosse encaminhada para estudos iniciais.

O tema permaneceu em debate, inclusive da diretoria da ACP, onde passou a contar com o apoio de diversos diretores, entre eles o Sr. Odone Fortes Martins. Na reunião do Conselho Político do dia 6 de abril de 1995, apresentou-se os documentos necessários à estruturação de uma Câmara de Arbitragem. Após muitos estudos, no dia 8 de agosto de 1995 foi realizada uma reunião-almoço na Associação Comercial para ajustar em definitivo a instalação da Câmara. Compareceu a este evento o Desembargador Cláudio Nunes do Nascimento, então Presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, e vários outros senhores Desembargadores, quando foi formada uma Comissão para elaboração do anteprojeto do Regulamento da Câmara de Arbitragem da ACP, dela fazendo parte: o Desembargador Luiz Renato Pedroso, o Dr. Mauricio Gomm Ferreira dos Santos, o Dr. Francisco de Paula Xavier Neto e o Dr. João Ricardo Cunha de Almeida.

Ao início de 1996, a minuta do Estatuto da Câmara foi aprovada pela Diretoria Executiva da ACP. Em maio daquele mesmo ano, a Diretoria aprovou a instalação da Câmara de Arbitragem no 3º andar do prédio da ACP.

Neste ínterim, em uma das reuniões do Conselho Político, sugeriu-se a sigla ARBITAC para a Câmara que nascia. Felizmente a sugestão foi aceita com entusiasmo, e a Câmara de Mediação e Arbitragem da Associação Comercial do Paraná passou a ser chamada simplesmente de ARBITAC. Em 17 de junho de 1996 foi fundada a ARBITAC, no seio da Associação Comercial do Paraná, então presidida pelo Sr. Eduardo Guy de Manoel.

Constituída sobre uma base sólida, apoiada pela ACP, bem como por várias entidades, a ARBITAC, no decorrer dos anos que se seguiram à sua instalação até os dias de hoje, pôde desenvolver os seus trabalhos pautada no amplo conhecimento e profundo comprometimento de entusiastas da mediação e da arbitragem e com a liderança de competentes colaboradores na gestão.